O Farmacêutico Hospitalar está na linha de frente do combate à epidemia do coronavírus

O Farmacêutico Hospitalar está na linha de frente do combate à epidemia do coronavírus

image

Os hospitais estão passando por um período muito caótico, o que ainda parece não ter previsão de fim. O coronavírus mudou completamente a rotina dos profissionais de saúde, que hoje lidam diretamente com as adversidades nos sistemas de saúde público e privado. Entre esses profissionais, está o Farmacêutico Hospitalar, que desempenha um papel importantíssimo no uso racional de medicamentos e equipamentos hospitalares.
 

Em sua rotina de trabalho, o farmacêutico hospitalar lida diretamente com os profissionais e com os pacientes, por isso, é preciso manter-se atento e empenhado em controlar a saída de insumos e medicamentos. Eles são os principais responsáveis pela distribuição dos EPIs; sua principal atribuição é garantir que haja materiais e medicamentos para atender a todos e, para isso, é preciso uma noção apurada de logística.
 

VEJA TAMBÉM:

A fitoterapia e o tratamento de doenças

A tecnologia em prol de uma farmácia hospitalar eficiente

Como o Lean pode ajudar os profissionais no combate à Covid-19

Ministério da Saúde convoca alunos e profissionais da área da saúde no combate ao COVID-19

Além disso, os farmacêuticos hospitalares são orientados a tomar as medidas necessárias e evitar desperdícios. A pandemia é uma situação atípica, por isso, algumas situações podem ser imprevisíveis. Os EPIs também são uma novidade; muitos dos materiais são importados. Nesse caso, é preciso garantir que não haverá mau uso por parte dos funcionários, causado pela falta de treinamento e de conhecimento.

 

A farmácia clínica é uma área de atuação muito mais ampla do que se imagina, trabalhando no suporte à equipe multidisciplinar, no fornecimento de medicamentos, dietas industrializadas e materiais.
 

O acompanhamento do paciente com COVID-19
 

O farmacêutico hospitalar acompanha os parâmetros bioquímicos e fisiológicos dos pacientes, e também avalia resultados de exames clínico-laboratoriais. Uma de suas principais funções é, também, o monitoramento de níveis terapêuticos dos medicamentos, com a finalidade de promover um acompanhamento de farmacoterapia e rastreamento em saúde.
 

Quando o paciente sofre de outras comorbidades, o farmacêutico precisa avaliar a saúde dele de forma mais minuciosa, já que será preciso uma atenção especial. O profissional poderá fazer outras intervenções e conciliação medicamentosa, já que, durante o tratamento da COVID-19, o paciente será submetido a outros tipos de medicações.
 

Além disso, os pacientes com COVID-19 dependem de uma atuação exemplar do farmacêutico hospitalar. São muitos os detalhes para se prestar atenção, como a dieta industrializada adequada a cada paciente, as prescrições, os exames laboratoriais, os antibióticos que precisam de ajuste em suas doses etc.
 

A farmácia hospitalar é uma das áreas da saúde mais importantes e promissoras, e o mercado está sempre em busca de profissionais efetivamente preparados para lidar com os desafios no sistema de saúde. Para um atendimento eficaz, qualificado e adequado, os farmacêuticos que querem atuar nessa área precisam de uma preparação técnica e teórica profunda e consistente, e é justamente isso o que a Pós-Graduação USCS está apta a oferecer.
 

Conheça o nosso curso de Pós em Farmácia Hospitalar: https://bit.ly/2CpHfTu