O impacto do exercício físico em nossa circulação

O impacto do exercício físico em nossa circulação

image

Manter uma rotina de atividades físicas regular é uma obrigação para quem quer ter qualidade de vida. E é com o exercício físico que o ser humano consegue obter uma manutenção eficiente do funcionamento de seu organismo, evitando problemas musculares, cardiovasculares, psicológicos e neurológicos.
 

As doenças cardiovasculares, como hipertensão arterial, colesterol elevado, sobrepeso e diabetes são uma ameaça constante para o nosso organismo e bem-estar. Esses problemas de saúde, assim como os riscos de mortalidade, podem ser reduzidos se cultivarmos uma rotina de atividade física regular unida a uma dieta saudável e ao acompanhamento médico.

VEJA TAMBÉM:

O exercício físico e o nosso metabolismo

Exercício físico e mudanças moleculares

O exercício físico precisa ser um hábito na terceira idade

300 minutos de atividade física semanal: uma recomendação da OMS

Pessoas fisicamente ativas apresentam maior sobrevida e menor prevalência de doenças, como o acidente vascular cerebral (AVC) e o infarto agudo do miocárdio. O mais importante de tudo é que a atividade física pode ser usada como uma ferramenta de prevenção de doenças, mas também é importantíssima para a manutenção da qualidade de vida no prognóstico de pacientes que já foram acometidos por algumas doenças.

A circulação sanguínea

A circulação sanguínea pode sofrer o impacto de maus hábitos e uma vida sedentária. Por isso, para aquelas pessoas que já sofrem com o início de um quadro de obstrução das artérias, os especialistas indicam que sejam feitas caminhadas supervisionadas para amenizar o problema.

 

Com a atividade física, nosso corpo desenvolve a circulação colateral, que irá suprir, através de outras vias, o caminho do sangue que antes era realizado pelas artérias principais. Dessa forma, o exercício físico ajuda diretamente no desenvolvimento de estratégias que visam melhorar a circulação do sangue, para que não haja prejuízos em nossa saúde.

O profissional de Educação Física

O profissional de Educação Física deve estar habilitado para atender as mais diversas necessidades e particularidades do indivíduo. Com isso, é indispensável sua preparação científica e prática para o atendimento qualificado de grupos com características distintas.

 

O exercício e a atividade física vêm sendo cada vez mais confirmados como estímulos capazes de evitar os processos deletérios decorrentes das várias doenças crônicas degenerativas. Tal fato se torna ainda mais relevante diante da crescente constatação que abordagens farmacológicas são muito caras e proporcionalmente não apresentam o retorno esperado, tornando sua relação custo-benefício pouco interessante.
 

Trabalhar com a prescrição de exercício/atividade física, porém, não é tão fácil quanto parece. A cada dia, estratégias são desenvolvidas, e os estudos em Fisiologia do Exercício demonstram que determinadas atividades são mais adequadas a determinados tipos de patologias.

Mesmo que se leve em consideração os indivíduos que não apresentam problemas de saúde, a simples manutenção do que se considera aptidão física exige uma enorme quantidade de conhecimentos específicos.
Diante desse cenário, a Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS) oferece o curso de pós-graduação em Fisiologia do Exercício – Prescrição do Exercício, que tem como objetivo estimular a conscientização do profissional por meio da sua atuação técnico-pedagógica no contexto social, fundamentado em qualidade técnico-científica na área de Fisiologia do Exercício, a fim de prepará-lo para atuar com mais segurança e melhor padrão profissional, tanto no atendimento direto ao cliente quanto em instituições de ensino, lecionando e/ou fomentando a produção científica por meio da pesquisa.

 

Saiba mais informações sobre o curso: https://bit.ly/37DfpQN