A neuroeducação na prática

A neuroeducação na prática

image

Ao longo dos últimos anos, escutamos muito sobre a importância de se estudar os processos de aprendizagem para tornar a sala de aula mais acolhedora e aperfeiçoar as metodologias de ensino. É exatamente essa aptidão que a neuroeducação oferece aos profissionais. Por meio dessa ciência é possível desenvolver habilidades baseadas em Pedagogia, Psicologia e Neurociência, para fazer um atendimento mais profundo dos alunos e compreender melhor os processos de aprendizagem.  
 

VEJA TAMBÉM:

STF altera idade para o ingresso de crianças na educação

Psicologia na educação

Importância e características da Neurociência Comportamental

O profissional de psicopedagogia

A neuroeducação tem alguns conceitos básicos e importantíssimos, cujo conhecimento permite ao profissional elaborar estratégias de melhoria dentro da sala de aula. Por isso, é importante entender alguns pontos:
 

•    Todos os alunos precisam ser tratados de forma individualizada, já que cada um desenvolve diferentes processos cerebrais diante dos estímulos recebidos. É preciso deixar um pouco de lado a ideia de atendimento coletivo. Por meio de mapeamentos cerebrais e testes de cognição, é possível conhecer melhor o indivíduo e montar estratégias para que ele absorva melhor os conteúdos.
•    O profissional precisa ter em mente que o processo de aprendizagem é altamente influenciado pelo ambiente e pelas relações sociais que o aluno vive. Além disso, há também alguns pontos de predisposição genética que podem influenciar nas questões de aprendizado.

 

O que pode ser feito?
 

•    Podem ser aplicadas atividades para estimular as funções cognitivas dos alunos, e isso pode ser feito através de jogos de memória e exercícios de raciocínio, por exemplo.
•    Os alunos precisam ser escutados; eles não estão na escola só para ouvir. Abra um canal de diálogo direto com todos, para que eles se sintam mais à vontade para expressar seus sentimentos acerca dos estudos e de outros assuntos que estejam deixando-os incomodados.
•    Inicie uma cultura metodológica que possa ser adaptada de acordo com as necessidades individuais dos alunos; assim, todos poderão superar suas dificuldades e aprimorar seus conhecimentos.
•    A observação é um dos superpoderes que os profissionais com especialização em Neuroeducação desenvolvem. Através da observação são percebidos possíveis transtornos comportamentais e dificuldades de aprendizagem. Ao se identificar precocemente esses problemas, é possível comunicar os pais e iniciar um trabalho de acompanhamento psicológico.

 

Interessou-se pela área de Neuroeducação? Que tal conhecer a nossa Pós-Graduação em Neuroeducação EAD? Acesse: http://bit.ly/2L5pdaM