O que é disfonia infantil?

O que é disfonia infantil?

image

A voz é a ferramenta de comunicação mais importante dos seres humanos, e, por isso, precisamos estar atentos aos seus sinais para que consigamos mantê-la saudável. O que muitos não sabem é que os cuidados com a voz precisam ser feitos desde a infância, para evitar problemas como a disfonia infantil.
 

As crianças também podem sofrer com alterações na voz, e os pais precisam ficar atentos aos sinais. Por isso, mesmo que o pequeno não verbalize um possível incômodo, é possível perceber uma anormalidade quando a voz está fina ou grossa demais, quando há rouquidão, falta de fôlego e até um certo cansaço. Todos esses sintomas podem indicar que algo está errado.

VEJA TAMBÉM:

O que é a dislexia?

Psicologia e a aprendizagem

Educação inclusiva para deficientes visuais

Escuta ativa: essa técnica vai melhorar a sua vida profissional


O ideal é que logo que as alterações sejam percebidas, os pais encaminhem a criança para uma consulta com um otorrinolaringologista e um fonoaudiólogo especialista em voz. Em alguns casos, a criança precisa passar por cirurgia ou psicoterapia.

 

O importante é sempre procurar ajuda profissional, e nada de tentar fazer receitas caseiras, pois isso pode piorar o quadro. A disfonia infantil pode aparecer por determinados períodos e depois sumir, ou pode ser permanente. Cada caso tem suas particularidades; porém, é através do auxílio de um profissional que o quadro poderá ser melhorado.
 

No dia a dia, é possível que os pais orientem a criança em prol de uma voz saudável. A maioria dos hábitos precisa ser ensinada e as ações precisam ser cultivadas desde muito pequeno. Ensiná-la a não gritar, a falar em um volume de voz adequado, a respirar adequadamente, a consumir água o dia todo, a consumir alimentos saudáveis e a evitar exposição a cheiros fortes e à fumaça são pequenas ações que podem interferir diretamente na saúde da voz da criança.
 

Pós-graduação em Voz
 

A Fonoaudiologia tem áreas e campos de atuação amplos. Integrar a comunicação humana aos mecanismos neurofuncionais de forma significativa é essencial para o estabelecimento desta ciência e a compreensão da dinâmica e do empenho vocal. Isso exige um aumento dos conhecimentos teóricos e de novos modelos de intervenção, e, consequentemente, uma maior capacidade de análise e reflexão, sendo necessário criar espaços de estudo e pesquisa individual.
 

A Fonoaudiologia trabalha a voz, a linguagem, a audição e a motricidade orofacial, tendo uma abrangência de intervenção dentro de cada uma dessas especialidades, explorando prevenção, avaliação e intervenção, como também exames que identificam alterações vocais, auditivas, motoras, cognitivas e de linguagem, entre eles, o teste da orelhinha e da linguinha em bebês, a audiometria, a seleção de aparelhos auditivos, a definição de consistência alimentar para quem apresenta dificuldade de deglutição com risco pulmonar, a performance do comportamento vocal, o empenho comunicativo de linguagem e de fala etc.
 

Dessa maneira, considerando esse envolvimento da  voz como parte da comunicação humana e seus aspectos na saúde,  há a necessidade de interação entre as próprias áreas de especialidades da Fonoaudiologia, bem como a evolução do conhecimento científico na área, de espaço para reflexão e pesquisa individual, de desenvolvimento socioemocional para o exercício das profissões e de facilitação das relações de parceria com outros profissionais, fatores de base para justificar o estudo, a pesquisa e a atuação nas habilidades da voz.
 

Conheça o curso de Pós em Voz da USCS: https://bit.ly/3c5t0lF