Como funciona a terapia junguiana?

Como funciona a terapia junguiana?

image

A terapia junguiana é baseada nas ideias de Carl G. Jung, e também é conhecida como Psicologia Analítica. Tem como característica principal integrar aspectos inconscientes à consciência, com o objetivo de proporcionar equilíbrio e bem-estar ao indivíduo, ajudando o paciente a viver de acordo com o que ele realmente é e resgatar a sua essência.
 

O psicólogo que se baseia no método de terapia junguiana busca entender simbolicamente as situações que o paciente expõe durante as sessões. A compreensão precisa ser feita de forma profunda e além dos significados óbvios.

VEJA TAMBÉM:

Meditação: uma ferramenta para a manutenção da saúde mental

Curso de Arteterapia da USCS é credenciado na AATESP e na UBAAT

Use a comunicação como ferramenta para desenvolver a sua inteligência emocional

Karina Okajima Fukumitsu fala em programa de TV sobre o suicídio entre os jovens

Para o paciente, a terapia junguiana pode ajudá-lo a compreender uma série de questões internas e como tudo isso se relaciona com o mundo. O terapeuta pode propor muitas técnicas, como imaginação ativa, análises de sonhos e arteterapia para trabalhar o psíquico do indivíduo.

A postura do terapeuta junguiano

Há uma série de linhas que os psicólogos podem seguir para realizar o atendimento clínico, uma delas é a junguiana. O terapeuta que se baseia nessa teoria, participa ativamente do processo terapêutico. Durante a sessão, o tratamento é feito com a troca de ideias entre paciente e profissional, e isso ajuda na construção de uma relação genuína e de confiança entre ambas as partes.

 

Para o paciente que optar por um tratamento que segue a linha junguiana, a relação com seu terapeuta é importantíssima, pois ele espera que o profissional o ajude a refletir e faça pontuações durante a sessão. Todo esse processo ajuda na compreensão de si próprio e do mundo.
 

A terapia junguiana não é aplicada de forma linear, ela segue um ritmo mais natural e de acordo com as necessidades psíquicas do paciente. É possível trabalhar questões durante uma sessão de terapia e, futuramente, revisitá-las.
 

A evolução do paciente que dita o ritmo do tratamento, no entanto, é uma terapia de longa duração, e o paciente pode sentir seus benefícios nas primeiras sessões.

Conheça o curso de pós-graduação em Psicologia Analítica: Abordagem Junguiana: http://bit.ly/2RmN9u4