Governo brasileiro libera uso de novos agrotóxicos


Postado em 17/07/2019



Em 2019, o governo brasileiro bateu o recorde de autorização de uso de novos agrotóxicos: 239 no total. O Brasil está à frente de países como China e Estados Unidos nos gastos com esse tipo de substância. Existem hoje 2 mil produtos licenciados para uso nas lavouras, fato este que tem preocupado os especialistas quanto aos danos à saúde e ao meio ambiente.
 

Muitos dos agrotóxicos autorizados pelo governo são proibidos em outros países, por isso, é preciso ter um cuidado maior com a fiscalização e com o uso indiscriminado desses produtos.
 

Agrotóxicos no Brasil
 

Em 2013, em um relatório divulgado pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), o Brasil ocupou a primeira posição entre os países que mais investiram em pesticidas no mundo.
Em 2011, a Campanha Permanente contra os Agrotóxicos revelou que o brasileiro consumia cerca de 5,2 litros desse tipo de substância por ano, o que não quer dizer que ingerimos diretamente esses pesticidas.

VEJA TAMBÉM:
Anvisa reavaliará continuidade ou não do uso de muitos agrotóxicos utilizados no Brasil

 

Na verdade, em sua maioria, eles são utilizados em plantações como algodão, eucalipto e soja. Além disso, boa parte da produção é exportada. O objetivo de exemplificar em litros é para que as pesquisas sejam facilmente compreendidas.
Em boletim anual divulgado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o Brasil registrou um recorde na compra de pesticidas em 2016, chegando a 541,8 mil toneladas.

 

O impacto dos agrotóxicos em nossa saúde
 

Os danos que o consumo de agrotóxicos pode causar em nossa saúde são classificados como agudos e crônicos. Os efeitos se manifestam de diferentes formas. O dano agudo é quando há o contato imediato com esse tipo de substância, e os trabalhadores do campo são as pessoas que estão mais vulneráveis a isso. Contudo, os consumidores que se alimentam de produtos com alto teor de contaminação por agrotóxicos também podem sofrer consequências sérias.
 

Os sintomas dependem do princípio ativo dessas substâncias, as quais podem gerar dores de cabeça, vômitos, dermatites, diarreia, problemas respiratórios e até danos neurológicos. Existem pesquisas que mostram que algumas substâncias podem estar ligadas a casos de suicídio.
 

Com a exposição a agrotóxicos ao longo dos anos, nosso corpo vai reagir de determinada forma, o que pode gerar um quadro crônico. Por causa dessas substâncias, o indivíduo poderá desenvolver câncer no futuro ou desregulações no sistema endócrino.
 

A intoxicação crônica pode causar outros problemas, como:
 

•    impactos neurológicos;
•    distúrbios cardiovasculares;
•    distúrbios respiratórios;
•    prejuízos ao sistema gastrointestinal.

 

Não há uma recomendação que ajude a diminuir o impacto desse tipo de substância em nossa saúde, porém, podemos sempre escolher as frutas e as verduras da estação, que são expostas por menor tempo aos agrotóxicos, e fazer a lavagem minuciosa do que será consumido. Essas medidas podem minimizar o impacto dos agrotóxicos em nosso organismo.
Quer saber mais sobre esse importante tema? Conheça nossa Pós-Graduação em Vigilância Sanitária e Qualidade dos Alimentos: https://bit.ly/2YGw0ff



 

0800 767 8727
(11) 94548-3386




Outros Links