Cinco benefícios da fotoproteção contra o melasma

Cinco benefícios da fotoproteção contra o melasma

image

1.Prevenção
Quando a pele é exposta à radiação solar, sofre consequências como alterações do DNA, ressecamento e perdas estruturais. A nossa pele tem,
em sua composição, uma espécie de célula dendrítica chamada melanócito, cuja principal função é nos proteger da radiação UV por meio da produção da melanina (pigmento).
Com o excesso de radiação, há atuação excessiva do melanócito, que busca aumentar a proteção da pele, resultando na formação de manchas (melasmas). A fotoproteção é primordial para que o melanócito não seja agredido pela radiação.
 
2.Auxílio no tratamento de melasma
A radiação UV ativa proteínas que induzem a formação de manchas, e, quando a pele não está protegida, pode mostrar-se ineficaz o tratamento do melasma.
 
 
3.Aparência da mancha
Justamente por inibir a ativação de proteínas que induzem a formação de manchas, a fotoproteção pode melhorar a aparência dessas manchas, uma vez que a pele conta com um processo do próprio organismo para a renovação celular e para que os queratinócitos (células que compõem a estrutura da pele) pigmentados se desprendam de forma natural.
 
4.Inibição dos hormônios causadores da mancha
Sem o estímulo da radiação, a proteína chamada POMC (pró-opiomelanocortina) não é clivada. Na hipótese de as proteínas sofrerem quebra, os seus peptídeos, que estimulam a produção de hormônios como alfa-MSH, resultarão na hiperfunção dos melanócitos.
 
5.Integridade da pele
A radiação UV causa danos irreparáveis em nossa pele e que comprometem, inclusive, a sua integridade. Estudos mostram que uma pele fragilizada fica mais suscetível à resposta do melanócito à radiação UV, originando ou agravando o quadro da mancha.
 
 

Profa. Ma. Thaís Bruna F. da Silva
 
Possui graduação em Biomedicina pelo Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas (2013) e mestrado em Fisiopatologia Experimental pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2018). Atualmente é docente do Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas e docente convidado da Universidade Municipal de São Caetano do Sul. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em biomedicina estética, atuando principalmente nos seguintes temas: cosmético, estética e leishmaniasis, pathogenesis.