Os rótulos podem influenciar a alimentação das crianças?

Os rótulos podem influenciar a alimentação das crianças?

image

Em estudos divulgados no final de 2019, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) fizeram uma pesquisa sobre a influência dos rótulos na alimentação das crianças brasileiras.
A pesquisa “Influência dos rótulos de alimentos ultraprocessados na percepção, preferências e escolhas alimentares de crianças brasileiras” analisou 69 crianças, que faziam parte de diferentes grupos socioeconômicos, para saber quais eram seus alimentos preferidos.

 

Dessa forma, foi mais fácil entender e mapear as estratégias de marketing que impulsionavam o público infantil, e também foi possível analisar o hábito de compras alimentares dos pais.

VEJA TAMBÉM:

Ministério da Saúde cria guia alimentar para crianças de até dois anos

Técnicas de neuromarketing que podem ser utilizadas em supermercados

A importância de legumes, verduras e frutas para a saúde dos atletas

Em duas décadas, o mundo passará a consumir em maior quantidade as carnes com ingredientes vegetais

O que salta aos olhos das crianças no que diz respeito à alimentação?
 

Há uma série de fatores que podem influenciar a criança a consumir determinados produtos, e a indústria alimentícia se utiliza de alguns gatilhos para despertar a atenção desse público, como:
 

•    cores vibrantes;
•    personagens de desenhos animados;
•    brindes que as crianças possam colecionar.

 

De fato, a pesquisa demonstrou que esses pontos são realmente significativos para as crianças e decisivos para impulsioná-las a consumir os produtos.
 

Alimentos e bebidas preferidos
 

As crianças foram convidadas a listar os alimentos e as bebidas que gostariam de levar de lanche para a escola, e os seus produtos preferidos foram:
 

•    refrigerantes;
•    salgadinhos;
•    bolos industrializados;
•    sucos artificiais.

 

Estratégias de Marketing x Alimentação saudável infantil
 

A pesquisa demonstra claramente a vulnerabilidade das crianças diante das propagandas e da oferta de produtos ultraprocessados. Facilmente se consegue qualquer alimento desse tipo em pontos de venda próximos das escolas e da própria casa da criança. Outro ponto alarmante é que esse tipo de produto tem um custo muito baixo, o que torna seu consumo mais fácil e “prático”. Infelizmente, esses pontos são cruciais para o aumento da população obesa infantil. Os pais, porém, precisam atuar ativamente na promoção de uma alimentação equilibrada e saudável.
 

Os pais que participaram da pesquisa demonstraram se importar, e muito, com a opinião de seus filhos, e é por isso que as crianças acabam tendo uma participação efetiva durantes as compras. Os pais são os adultos responsáveis pelos pequenos nesse momento, razão pela qual é de extrema importância que se posicionem firmemente em relação a uma alimentação saudável.
 

Especialização
 

Os rótulos dos alimentos têm uma importância muito grande na relação das pessoas com a alimentação domiciliar. É com base neles que muitos definem o que é ou não adequado para suas refeições. Assim, a apresentação do produto precisa ser responsável e conter informações claras e precisas, permitindo que o consumidor consiga analisar cada produto que entrará em sua rotina alimentar.
 

A Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS) oferece o curso de Pós-Graduação em Vigilância Sanitária e Qualidade de Alimentos, que conta com um excelente corpo docente e uma matriz curricular exemplar. O conhecimento em Vigilância Sanitária e Qualidade de Alimentos permite interferir na produção de alimentos de maneira a eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde da população, bem como colabora para a adequada apresentação dos produtos aos consumidores, por meio do atendimento às recomendações da Anvisa na utilização de embalagens e rótulos adequados a cada alimento produzido.
 

Saiba mais sobre a Pós USCS: http://bit.ly/2s5pJiJ